Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > NOTA PÚBLICA: FETESSESC REPUDIA PRIVATIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS)

Nota pública: Fetessesc repudia privatização do Sistema Único de Saúde (SUS)

19/04/2018

A Fetessesc vem a público repudiar a iniciativa da Federação Brasileira de Planos de Saúde – Febraplan de propor a privatização do SUS, pois acredita no caráter público do nosso Sistema Único de Saúde

Escrito por: Fetessesc

Fetessesc vem a público repudiar a iniciativa da Federação Brasileira de Planos de Saúde – Febraplan de propor a privatização do SUS, pois acredita no caráter público do nosso Sistema Único de Saúde e na importância da promoção de saúde para todos sem distinção de classe. Na última terça-feira, dia 10 de abril de 2018, um grupo de empresários que gerenciam os planos de saúde no Brasil, reuniu-se em um auditório de hotel em Brasília com deputados, senadores e Ministério da Saúde para supostamente construir o que chamaram de Novo Sistema Nacional de Saúde, mas que na verdade caracteriza a privatização do SUS e o fim do acesso à saúde pública.

 

Apesar de ter o nome de 1º Fórum Brasil, a programação do evento que apresentou o novo modelo de sistema de saúde mostra que não tem o interesse de debater a promoção de saúde com todos os setores que a compõe, uma vez que não convidou as entidades que representam os trabalhadores e a população. Esse cenário é bem distinto do que criou o Sistema Único de Saúde (SUS) e seus princípios no ano de 1988, quando diversos setores da sociedade brasileira, inclusive os movimentos sociais, construíram a Constituição Federal e garantiram em constituição a saúde como direito universal e gratuito.

 

De acordo com dados do Portal da Saúde do Governo Federal, o SUS atendeu 201 milhões de brasileiros em 2013 (a população naquele ano era de 202,4 milhões). Considerando a importância que o SUS têm para a maioria da população brasileira, a Fetessesc questiona: Por que somente um pequeno grupo de empresários que hoje lucram com a saúde no setor privado possuem a ousadia e assumem a linha de frente na construção de um ”Novo Sistema de Saúde”?

 

A resposta com certeza pode ser encontrada em um projeto de país formulado por Temer seus aliados políticos e empresários e que está sendo rapidamente implementado: A ponte para o futuro. O projeto lançado nos primeiros dias do governo Temer em 2016 já previa um novo regime orçamentário que propunha o fim de todo o modelo de financiamento da Educação e da Saúde Pública brasileira. O objetivo traçado foi o de redução de gastos sociais em assistência, saúde e educação.

 

A Emenda Constitucional 95, aprovada pelo Congresso Nacional em 2016, ao estipular o congelamento dos gastos públicos por 20 anos, foi a primeira ação para garantir o desmonte do SUS. A próxima ação articulada entre governo e empresários vem no sentindo de convencer a população que a implementação de planos de saúde populares resolveria os problemas de financiamento no sistema público. O que a população não sabe é que o Governo repassará montantes de dinheiro para o setor privado para garantir o funcionamento desses planos. Investimento que deveria ser repassado diretamente para o Sistema Único de Saúde.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br