Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > AUTORIDADES PARTICIPAM DE LANÇAMENTO DO COMITÊ DE SOLIDARIEDADE AO LULA

Autoridades participam de lançamento do Comitê de Solidariedade ao Lula

16/03/2018

A ex-presidenta Dilma Rousseff, o ex-ministro Celso Amorim e a presidenta do PT Gleisi Hoffmann estiveram presentes ao lançamento oficial do Comitê na Tenda da CUT, durante o Fórum Social Mundial 2018

Escrito por: Rosely Rocha, especial para Portal CUT

 

Lutar contra os ataques à democracia, à perseguição a Lula e as injustiças foi o tom dos discursos que autoridades nacionais e internacionais fizeram hoje, durante o lançamento do Comitê Internacional de Solidariedade a Lula e à Democracia, na Tenda da CUT, durante o Fórum Social Mundial, nesta quinta-feira (15).

Presente à cerimônia, a ex-presidenta Dilma Rousseff defendeu o direito de Lula ser candidato e fez críticas a parte do judiciário. “Todos são iguais perante a lei. Aqui no Brasil, não. E isto está cada vez mais claro com a politização aberta de segmentos do judiciário. A regra no Brasil é quem passa com mala pra lá e pra cá, fica livre. Quem tem conta no exterior, fica livre”, disse.

Dilma defendeu que é preciso lutar para que o golpe não se concretize com a condenação de Lula e a retirada dele do processo eleitoral. Para ela, o PT é uma das forças mais consistentes nesse combate. “Não é a única, mas é a mais forte, temível e consistente”.

Por fim, a ex-presidenta agradeceu o apoio internacional de partidos, sindicatos e movimentos sociais. “Espero que continuem solidários conosco, que é muito importante para nós”.

O Comitê será coordenado pelo ex-ministro Celso Amorim e não terá local fixo. A ideia é criar condições para que as diversas iniciativas de defesa do Brasil e de Lula possam se comunicar e conversar em seus respectivos países. A estratégia dos organizadores é fortalecer este manifesto, para que ele seja um documento aglutinador de defesa da democracia brasileira e um alerta ao mundo.

A presidenta do PT Gleisi Hoffmann agradeceu o apoio internacional ao PT e a Lula. Segundo ela, prender Lula é um ultraje, um acinte à democracia. “Prender o Lula é humilhar o povo brasileiro. O PT vai lutar com todas as suas forças pra resistir à essa situação e o apoio internacional é fundamental”.

Gleise também alertou que é preciso colocar aos olhos do mundo as injustiças, as perseguições e a trágica morte da vereadora Marielle. “Isto demonstra a intolerância por que passa a sociedade brasileira.”

O coordenador do Comitê, ex-ministro Celso Amorim, disse que no ato de defesa à democracia, não poderia deixar de mencionar a execução da Marielle, brutalmente morta em circunstâncias que precisam ser apuradas. “Precisamos saber se essa intervenção no Rio de Janeiro é para realmente defender o povo”, delcarou.

Também participam do Comitê e estavam no lançamento as seguintes autoridades internacionais: Éric Coquerel, deputado nacional do Movimento França Insubmissa, do líder Jean Melenchon,  Maite Mola, vice presidenta do Partido da Esquerda Europeia, que representa 39 partidos de toda a Europa e a deputada Argentina do Parlasul ( Parlamento do Mercosul) Julia Perié

Apoios
O Comitê Internacional tem entre seus membros as seguintes entidades:

Central Única dos Trabalhadores (CUT); Confederação Sindical Internacional (CSI); Confederação Sindical das Américas (CSA); Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB); Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPA); Central de Movimentos Populares (CMP); Conselho Mundial da Paz (CMP); Fundação Mauricio Grabois (FMG); Fundação Perseu Abramo (FPA); Internacional dos Serviços Públicos (ISP); Intersindical; Instituto Lula (IL); Levante Popular da Juventude; Marcha Mundial de Mulheres (MMM); Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST); Partido Comunista do Brasil (PCdoB); União Brasileira de Mulheres (UBM); União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES); União da Juventude Socialista (UJS); União Nacional dos Estudantes (UNE); Partido dos Trabalhadores (PT); além do cientista político Gonzalo Berron e o ex- ministro dos Direitos Humanos do Brasil e membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Paulo Vanuchi.

Apoios internacionais recebidos:
Central de Trabajadores Argentinos – Autônoma (CTA – A); Central de Trabajadores Argentinos (CTA – T); Adolfo Perez Esquivel (Prêmio Nobel da Paz 1980); Victor de Genaro (Presidente do Partido Unidad Popular); Hassan Yusuff (Presidente do CanadianLabourCongress – CLC), Canadá; Leo Gerard (Presidente do United Steel Workers – USW), dos Estados Unidos, Partido Comunista Português (PCP) e Partido Comunista da Venezuela (PCV); da Eurodeputada do PC Francês e do Partido da Esquerda Europeia Marie - Pierre Vieu.

Até agora foram formados os seguintes comitês no exterior:
Buenos Aires e Missiones, na Argentina, e Bruxelas, na Bélgica. E outros comitês em formação até o momento estão em Washington (EUA), e Genebra, na Suíça.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br