Twitter Facebook YouTube

CUT SC > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > TRABALHADORES DA COMCAP ESTÃO EM ESTADO DE GREVE

Trabalhadores da Comcap estão em estado de greve

09/11/2017

Nesta quarta-feira, dia 8 de novembro, a categoria votou pelo estado de greve após discutir a proposta da prefeitura para a data-base e considerá-la insuficiente

Escrito por: Sílvia Medeiros (Sintrasem)

 

Mais uma vez, o governo Gean ataca a luta dos trabalhadores da COMCAP e o serviço público. Passados quatro meses da transformação da COMCAP em autarquia, nada melhorou, pelo contrário. Caminhões quebrados, falta de equipamentos, horas extras cortadas deixando lixo na rua e pressões das diretorias. Estas práticas vêm se tornando cada vez mais comuns na rotina do trabalhador.

Nesta quarta-feira, dia 8 de novembro, a categoria votou pelo estado de greve após discutir a proposta da prefeitura para a data-base e considerá-la insuficiente.

Uma nova assembleia será realizada dia 14/11 para deliberar sobre a greve, caso as negociações não avancem.

O prefeito sabe o tamanho da nossa força, mas parece “se esquecer” disso na hora de negociar com a categoria.

Chegou a hora de lembrá-lo mais uma vez que não aceitaremos a retirada de direitos conquistados à base de tanta luta; exigimos uma data-base que valorize os trabalhadores que prestam um serviço de qualidade à população de Florianópolis, um dos melhores do país!

POR QUE  OS TRABALHADORES APROVARAM O ESTADO DE GREVE?

1 - CONTRA A AUTARQUIA

A transformação da Comcap em autarquia foi um dos maiores golpes já dados contra a empresa. Em julho, fizemos uma das maiores greves da história para enfrentar a decisão do prefeito, que não apresentou a proposta para a categoria e aprovou de maneira truculenta. A mudança para autarquia prepara a divisão da categoria com outro plano de carreira para os novos trabalhadores, com piso rebaixado e sem os mesmos direitos que temos hoje. Querem nos dividir para nos enfraquecer!

2 - REAJUSTE E INFLAÇÃO

A proposta da prefeitura para o reajuste dos trabalhadores é insuficiente. Exigimos a reposição integral das perdas salariais pelo maior índice e aumento real para recompor nosso poder de compra. Em 2017 o preço do gás subiu 15,58% e a energia   sofreu um tarifaço na bandeira vermelha com aumento de 43%! Estes dois, segundo a FGV, são os que mais impactam nas famílias de baixa renda. Ou seja, a proposta da prefeitura de INPC a partir de janeiro e com parcelamento do retroativo traz perdas salariais para os trabalhadores.

3 - FROTAS E EQUIPAMENTOS

Na mesa de negociação,  mesmo estando de acordo com nossa cláusula e apresentando um plano detalhado de compra de equipamentos e renovação da frota, a direção da empresa não colocou no papel o que falou na negociação, ou seja, não há nada de concreto ou que esteja realmente garantido. Queremos a renovação da frota e dos equipamentos discriminados em nosso acordo, e não cláusulas genéricas para nos enrolar.  Exigimos investimentos na Comcap!

4 - ACORDADO x LEGISLADO

A reforma trabalhista que passa a vigorar em 11 de novembro criou margem para uma nova manobra dos patrões. Agora, acordos de “comissões de trabalhadores” poderão     atropelar acordos coletivos, gerando brechas para mais pressão e o desmonte dos direitos conquistados historicamente. Nossas decisões são tomadas democraticamente, com todos os trabalhadores, exigimos que isso esteja em nosso acordo. Não aceitaremos acordos em separado!

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Programa DizCUT Jornal dos Trabalhadores

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE SANTA CATARINA
Rua Visconde de Ouro Preto, 87 | Centro | CEP 88020-040 | Florianópolis | SC
Fone: (048) 3024-2053 | www.cut-sc.org.br | e-mail: cut-sc@cut-sc.org.br